A S. já frequentava a Praia da Lagoa de Albufeira do Meco há vários anos, tendo amigos que vivem na zona, e depressa o S. se converteu à sua beleza, tranquilidade e ambiente descontraído. Apesar de gostarmos de todas as praias da zona do Meco, a maioria nem sempre permite um dia de praia descansado devido à grande afluência. Além disso, alguns frequentadores nem sempre fazem bem o nosso estilo de vizinhos de areal. Em todo o caso, a zona do Meco é linda e maravilhosa para caminhadas e explorações. Foi por exemplo nestas saídas sem destino que conhecemos sítios lindíssimos e pessoas calorosas a quem hoje em dia compramos verdes, ovos e até frangos do campo!

Na Praia da Lagoa de Albufeira entra toda a gente: ricos, menos ricos, pobres, gordos, magros, vestidos, despidos, com dentes próprios, sem, ou postiços, sozinhos ou acompanhados. É um ambiente óptimo e familiar, onde ninguém julga ninguém e toda a gente anda por ali à vontade. Ali, toda a gente é top, mesmo com o bottom descaído. Zona de pescadores humildes, come-se igualmente muito bem nos poucos mas bons restaurantes da zona.

Uma das coisas que mais apreciamos na Lagoa é a diversidade da paisagem. De um lado a ria, com a água QUENTE onde só apetece ficar de molho a contemplar os caranguejos ou a boiar. Do outro o mar, para quem quer uma coisa mais animada. Podemos igualmente contornar campos e pinhais e fazer caminhadas de horas pelo mato, sempre com água a acompanhar. As caminhadas são aliás um excelente programa para se fazer sozinho ou com um grupo de amigos.

 

A quem gosta de se aventurar aconselhamos um passeio desde a Praia até ao Espaço interpretativo da Lagoa Pequena, só por si merecedor de uma visita. Tem imensos trilhos e observatórios de aves como o Camão, o Pato-real, a Garça-vermelha ou o Chapim-real. Também há um observatório de lontras, mas nunca conseguimos vislumbrar as danadas, apesar do rasto de dejectos que deixam pelos passadiços de madeira.

Quem gostar de caminhadas mais desafiantes, pode, demorando cerca de 3h sem grandes paragens, continuar da Lagoa Pequena contornando sempre do lado da ria até chegar novamente ao mar. Vale mesmo a pena, já fizemos os dois sozinhos, e com uma amiga, a M., e garantimos que vão dormir que nem uns bebés. Só é pena o muito lixo que se começa a ver cada vez mais na zona, incluindo micro e macro plásticos, esferovite, restos de redes, garrafas de vidro, além de tudo um pouco. E este ano viram-se também muitas máscaras para compor a imagem desoladora…

Há na lagoa (e em muitos outros lados, infelizmente) provas de uma gritante falta de consciência ambiental. Se queremos continuar a usufruir destas pequenas jóias, temos de saber cuidar delas, sob pena de as vermos desaparecer, e com ela toda a flora e fauna que dela depende.

Se não lhes bastar o Meco para queimar calororias, sugerimos uma caminha mais exigente não muito longe deste local nas escarpas do Cabo Espichel.

Artigos Recentes

Digite e pressione enter para pesquisar