Este restaurante familiar de nome Papa Migas ficará na nossa memória sensorial.  Esta pérola escondida entre as estreitas ruelas da bela cidade de Moura é gerida pelo Manuel e pela Paula. Ela cozinha e tem mão na decoração do espaço, ele recebe e serve os clientes. Este curioso casal decidiu sair da confusão de Lisboa e escolheu Moura para abrir um desafiante negócio, que encontrámos por pura sorte ao vaguear ao sabor do acaso. Gostámos logo do nome, e da entrada, pequena mas convidativa, estando o espaço decorado de forma rústica e tradicional, com apontamentos artísticos de bom gosto, feitos pela Paula.

Estas notas criativas estendem-se à forma como cria os seus pratos, conferindo-lhes um toque nitidamente pessoal. Não é muitas vezes que dizemos que adoramos um restaurante, mas de facto o Papa Migas está no top dos nossos preferidos por todas as razões: cozinha excelente (mas excelente, mesmo), muito ao sabor da sazonalidade dos produtos, sempre frescos; arte de bem receber os clientes no seu melhor, simpatia, cuidado, limpeza e delicadeza no trato – tudo isto fez com que esta experiência nos tivesse deixado saudosas recordações e uma vontade genuína de voltar. Além disso, convém referir que é tudo cozinhado na hora, e que é apenas a Paula a confeccioná-los. Mesmo assim, o tempo de espera é perfeitamente razoável, enquanto se petisca umas entradas (o S. não come presunto mas consolou-se com um queijo de cabra e azeitonas).

Como prato principal, óptámos por umas pataniscas com arroz de feijão que estavam absolutamente divinais, acompanhadas pelo vinho da casa cuja escolha não defraudou. Para sobremesa, a escolha incidiu sobre a sempre infalível sericaia. Se por acaso pensam que estamos a escrever este texto sobre o efeito de pastilhas de speed, não precisamos. A nossa euforia é apenas alimentada pela lembrança do verdadeiro prazer que aquela refeição nos deu. Este deslumbramento foi também visível na expressão dos comensais que, como nós, se surpreenderam a cada garfada.

Em suma, não sendo o mais económico (da nossa experiência, é difícil comer bem e barato no Alentejo) – o preço, cerca de 45 euros para duas pessoas – é bastante razoável para a qualidade do serviço. Atenção: o Papa Migas é um lugar concorrido: muitos foram aqueles que apareceram enquanto comíamos e não conseguiram mesa. Um conselho de amigos: façam reserva e não arrisquem que o mesmo vos aconteça sob pena de perderem a oportunidade de saborearem uma refeição única num ambiente cheio de carisma. Recomendamos imenso.

Artigos Recomendados

Digite e pressione enter para pesquisar